Indústria brasileira leva autopeças para missão no Chile

Dezenove fabricantes estarão com suas autopeças brasileiras na Missão Comercial no Chile, de 6 a 8 de outubro em Santiago. A Missão Comercial terá rodadas de negócios entre as importadoras chilenas e as empresas brasileiras. A coordenação do evento é realizada pelo Brasil Auto Parts, em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e Sindipeças.

As empresas que apresentarão seus produtos são: Affinia, Alcoa, Bins, Flexfab, Cequent, Enerbrax, Fras-le, Freios Farj, Frum, General Products, Luciflex, Mastra, Max Gear, Rayton, Rivertec, SBU, TMD Friction, Urba-Brosol e Baterias Moura
“A desvalorização cambial tem ajudado as autopeças brasileiras a ganhar espaço no mercado internacional, tornando-as mais competitivas e aumentando a receita das empresas com as vendas ao exterior”, disse Antonio Carlos Bento de Souza, Conselheiro responsável pelo programa Brasil Auto Parts no Sindipeças.

Sobre o setor

O Brasil é o quarto maior mercado consumidor de veículos do mundo, com uma frota estimada em 41 milhões de veículos. Mais de 29 marcas de veículos têm produção local, acompanhadas por uma cadeia de autopeças completa. Os indicadores mostram a dimensão deste setor: o resultado das vendas dos quase 500 associados ao Sindipeças – Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores – que representam 95% da indústria brasileira de autopeças – alcançou a soma de US$ 31.9 em 2014.

Brasil Auto Parts, Trusted Partners

O programa Brasil Auto Parts foi criado em 2005, em parceria com a Apex-Brasil e sob a coordenação do Sindipeças, e tem como missão promover e fomentar o comércio exterior de empresas do setor de autopeças. Com o slogan “Trusted Partners”, o Brasil Auto Parts assegura ao mundo que, ao adquirir autopeças feitas no Brasil, você pode contar com parceiros de confiança com produção em escala, produtos de qualidade e tecnologia aplicada, excelência em serviços pós-venda e relacionamentos duradouros.

 

Fonte: Export News